Principais Altcoins do Mercado

 

Dogecoin (símbolo: Ð ou DOGE) foi lançada em Dezembro de 2013 como uma criptomoeda que não possuía o propósito de ser “levada à sério”, no entanto houve a aderência de muitos usuários que viram no Dogecoin uma oportunidade para minerar por uma criptomoeda que não possuía muita competição por mineração.

A comunidade de usuários do Dogecoin possuem uma cultura por utilizar a moeda para angariação de fundos e outras actividades relacionadas à caridade.

Duas das mais famosas ocorrências de patrocínios que foram levantados com o uso de Dogecoin foram o patrocínio para o piloto da NASCAR, Josh Wise na corrida Talladega Super Speedway e o patrocínio do equivalente a 30 mil dólares em Dogecoin para que a equipa nacional de bobsled da Jamaica pudessem participar das Olimpíadas de Inverno de 2014.

Litecoin  (símbolo: Ł ou LTC) é a Altcoin mais conhecida derivada a partir de uma bifurcação do Bitcoin.

É uma criptomoeda peer-to-peer que teve o seu código- fonte bifurcado mais vezes, seguido do próprio Bitcoin.

Lançado oficialmente em 13 de Outubro de 2011, e possui poucas variações em relação ao Bitcoin.

Entre as principais diferenças em relação ao Bitcoin, destacam-se a taxa de processamento de blocos (2 minutos e 30 segundos, em comparação aos 10 minutos do Bitcoin) que foi escolhido em função de dificultar a ocorrência de gasto duplos e o algoritmo de prova-de-trabalho utilizado.

Ao contrário do SHA-256, utiliza o scrypt cujo plano de implementação inicial tinha como propósito evitar que GPUs tivessem vantagem sobre CPUs durante o processo de mineração.

CryptoEscudo (símbolo: CESC) é uma moeda digital criptográfica, lançada a 25 de Março de 2014, por programadores portugueses. Foi desenhada a partir do protocolo das primeiras criptomoedas existentes, o Bitcoin e o Litecoin.

Os seus fundadores, Eugénio Apolo e Ana Costa , definiram três objectivos a alcançar:

  • Criar uma comunidade nacional e internacional de utilizadores de CryptoEscudo. Distribuir uma parte dos CryptoEscudos pré minerados pelos portugueses (residentes no país ou no estrangeiro).
  • Alcançar uma valorização progressiva do CryptoEscudo, até aos 1000 Euros, para conseguir pagar a dívida pública portuguesa (à data do lançamento da moeda) recorrendo às moedas pré mineradas reservadas para esse efeito.

A ideia baseia-se no pressuposto de que a distribuição pelos portugueses gere interesse e que a progressiva adoção desta moeda digital (CESC para abreviar) como forma de pagamento alternativa. O nome foi escolhido a pensar numa imediata identificação, por parte da população portuguesa, com a antiga moeda nacional o Escudo português.

Este, tal como mencionado no site, pretende ser uma “referência de um percurso até ao presente e, que esperamos que seja agora, uma base de partida rumo a um futuro melhor”.

A distribuição pelos cidadãos portugueses teve início a 25 de Abril de 2014. Uma data simbólica, que assinala os 40 anos da Revolução dos Cravos.

STORJ (Símbolo: STORJ) é um sistema de cryptocurrency e de pagamento digital que também é um método de armazenamento digital e armazenamento de dados Descentralizados, baseado em tecnologia de blocos que atualmente usa o sistema da Blockchain da Ethereum.

Em abril de 2016, a Storj Labs anunciou oficialmente o lançamento beta de sua plataforma na nuvem. o que permitirá aos usuários armazenar dados em uma rede descentralizada. O Beta só é acessível através de um sistema de convidados e estará disponível publicamente após a fase de teste inicial da plataforma.

Em julho de 2016, a Contraparty, tecnologia de ferramentas financeiras descentralizadas na Blockchain da bitcoin e Storj, reuniram e combinaram recursos para desenvolver a tecnologia de canais de pagamento para uso na rede da Contraparty.

Sia (Símbolo: SC) é uma plataforma cooperativa da rede, de armazenamento de arquivos que alavanca o token Siacoin, os contratos inteligentes e a tecnologia blockchain para armazenar com segurança dados em hosts distribuídos em todo o mundo.

Está escrito na língua Go e desenvolvido ativamente pela Nebulous Inc.

A Sia começou em setembro de 2013 como um projeto de David Vorick e Luke Champine quando ambos eram alunos de ciências da computação de graduação no Rensselaer Polytechnic Institute em Troy, Nova York.

O projeto Sia original foi concebido no HackMIT 2013.

Civic (Símbolo: CVC) consiste num modelo que permite o acesso on-demand, seguro e de baixo custo para a verificação de identidade através da cadeia de blocos.

As verificações de antecedentes e informações pessoais podem não precisar ser realizadas desde o início sempre que uma nova instituição ou aplicativo requer uma.

O Civic já possui um produto de verificação de identidade que está disponível em todo o mundo.

Civic ganhou o prêmio Best New Startup na K(NO)W Identity Conference 2017.